quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Museu da Internet


O Internet Archive Wayback Machine mostra a história da Web. O site possue um acervo com mais de 100 terabytes e 10 bilhões de páginas arquivadas de 1996 até hoje de toda a web!, tente esse para começar - é da uol, a máquina funciona assim, você digita um site e aparece uma tabela com datas, você escolhe uma data e pinba, o site esta lá do jeito que era, agora lembre de um site e volte ao passado. Esse site aqui foi o primeiro a entrar no ar! Vejam que coisa - do Centro Europeu de Pesquisas Nucleares.
Antes os sites eram estáticos sem nenhuma, ou quase nenhuma animação, esse aqui é daquele tempo. Surfem por essa lista com os 10 primeiros sites criados, submeta-os ao museu da internet e boa viajem.
http://www.symbolics.com - 15 de Março de 1985
- 24 de Abril de 1985
- 24 de Maio de 1985
- 11 de Julho de 1985
- 30 de Setembro de 1985
- 7 de Novembro de 1985
- 9 de Janeiro de 1986
- 17 de Janeiro de 1986
- 3 de Março de 1986
- 5 de Março de 1986
E vejam mais aqui:



http://www.archive.org//">


sábado, 31 de outubro de 2009

Censura na Internet


Censura estatal cibernética

Os sites de busca na China não mostram resultados quando aparecem palavras chave como: a revolução democrática da Praça Tiananmen - Praça da Paz Celestial, ou sobre o movimento espiritual ilegal Falun Dafa - Falun Gong. Esta forma de censura na China garante ao governo que os 120 milhões de internautas que tem o país não acessem a informações que consideram perigosas. Repórteres sem Fronteiras estimam que a China utilize perto de 30.000 funcionários para vigiar o que os internautas acessam, e quando tempo ficam conectados.

Censura no mundo ocidental

Porém não se pode dizer que estes acontecimentos ocorrem somente no oriente. Mesmo que na Europa e na América as liberdades estão mais protegidas, existem movimentos e intenções de censurar canais de informação como a imprensa, televisão e também a internet. Na Alemanha, por exemplo, um grupo de juízes têm se mostrado a favor de controle e censura na internet, em especial para bloquear acessos a certos sites neonazistas alojados em servidores nos Estados Unidos, mas até agora são propostas. Cuba é outro caso parecido de censura do estado, como ocorre no oriente. O poder público controla as redes nacionais de informação, e onde não se expressa nenhuma opinião que não seja a versão estatal, ficam de fora todas as opiniões livres. Dez agências de informação independentes, com Cubanet e Cuba Free Press, transmitem por telefone suas informações a organizações sediadas em Miami nos Estados Unidos, para que por fim estes postem as informações em sites das organizações. Sem proibições os autores desses artigos, difundidos por este procedimento escapam da repressão. Outro caminho que em algumas partes da América Latina usam-se para a censura digital é o alto custo da conexão de banda larga. Nos Estados Unidos apesar da circulação de informação pela internet estar muito bem protegida pela primeira emenda da constituição a direita conservadora, não faz muito tempo, envolveu-se num escândalo, o programa Carnivore do FBI, controverso sistema de vigilância eletrônica chamado de DCS 1000, que mais tarde foi abandonado e que revisava milhões de email por dia buscando palavras chave que se refiram ao estado de forma potencialmente perigosa e que agora segue sendo desenvolvido para fins judiciários.

Exemplos de censura estatal na internet

Em Pekin, na China, um internauta foi sentenciado a dois anos de prisão por ter adicionado links de publicações de dissidentes morando nos Estados Unidos, e adicionalmente foi bloqueado todo o acesso a Wikipédia e a Google.
O Iraque não dispunha de nenhum acesso direto a Internet, os provedores de dados, jornais eletrônicos de algumas províncias e até de ministérios estavam todos instalados em servidores Jordanianos.
Na Síria, o acesso à rede é oficialmente proibido a particulares.
No Cazaquistão e Kirguistão são impostos aos provedores de acesso privado altas tarifas para a exploração da internet, que seu uso fica impraticável comercialmente.
Na Bielorrusia o regime tem a mesma atitude repressiva com a internet e com o restante dos meios de comunicação, e como conseqüência não deixa a menor margem de liberdade na internet, e que só se tem acesso através do Belpak, um provedor estatal.
Em Myanmar a censura é total e irrestrita, é exercida graças ao monopólio do estatal dos provedores de internet. E a lei sobre informática de setembro de 1996, obriga a declarar ao estado e posse de um computador sob pena de 15 anos de prisão.
No Taikistão so existe um provedor de acesso na cidade de Douchambé que é controlada pela Telecom Technologies empresa de controle estatal.
Na Tunísia, a Agência Tunisiana de Internet – ATI – controla os provedores de acesso privado que na realidade estão vinculados ao governo. Num determinado momento do início do século XXI os acessos aos informes da Amnesty International sobre violações de direitos humanos foram bloqueados e o site da ONG ficou fora do ar por 2 anos.
Na Birmânia as pessoas que ousem omitir a declaração de posse de um computador se arrisca há passar vários anos preso.
Na Coréia do Norte é o único país do mundo onde não há acesso à internet. Não há servidores e nem possibilidade conexão.

Great Firewall of China. E o bloqueio da Google - O governo chinês esta acostumado a bloquear ocasionalmente determinados sites, certa vez, bloqueou o site da BBC, logo quando os ingleses propuseram uma versão do site em chinês, da mesma forma o site de procura google, junto com outros também de procura foram bloqueados por oferecer acesso a informações consideradas perigosas ao estado. Porém a censura aplicada a Google pode ser facilmente dissimulada, já que existe literalmente um site espelho chamado elgooG, que foi desenvolvido por dois pesquisadores residentes da Faculdade de Direito da Universidade de Havard nos EUA, as buscas que são realizadas no elgooG são escritas de forma invertida, porém proporcionam os mesmos resultados que na google, já que se trata de um site criado por API, tecnologia de busca que usa linguagem Perl, do google.

British Broadcasting Corporation - BBC UK ........ 1
Central Intelligence Agency - CIA USA ............... 2
Wikipedia - Enciclopédia Livre .............................. 3
Federal Bureal of Investigation - USA.................. 4
New Scientist Magazine ......................................... 5
elgooG - API na google ........................................... 6
Agência de Notícias Xinhua .................................... 7
Empresa Brasil de Comunicação ............................ 8
Anistia Internacional ............................................... 9
ONU Organização das Nações Unidas .................. 10